Monday, October 16, 2006

O tempo voa

2003/2004:
Caloirinha da Flup... Depois de um ano no Ismai, finalmente entrei no que queria... JORNALISMO....
Perdidinha da vida, sem conhecer ninguém, fui para a praxe com esse objectivo, porque no ismai tinha sido graças aos primeiros, e únicos, 15 dias de praxe que tinha conhecido muita gente...
Apercebi-me que de facto, Ismai e Letras nada tinham em comum, então a nível de praxe nada mesmo... fiz grandes amigos no ismai, passei optimos momentos que irei sempre recordar mas é LETRAS a minha casa, foi em Letras que começei a dar valor a algumas coisas que não dava, foi em Letras que conheci pessoas excepcionais que vão ficar comigo para ao resto da vida e é LETRAS a minha faculdade....
Passei momentos únicos como caloira, momentos muito bons e muito maus tb... Secalhar apercebi-me de coisas cedo demais, talvez pela minha vontade de querer saber sempre tudo. Passei maior parte do meu tempo com duas pessoas fantásticas, uma delas que mais tarde veio a ser meu padrinho e que sempre tentei e tento orgulhar, esteja ele perto ou longe... Vivi momentos magnificos e únicos e hoje quando os relembro não sei se tenho vontade de rir, pelas situações, ou chorar, pela saudade desses tempos.
Conheci pessoas de outros cursos, vi que afinal as pessoas de geografia não eram assim tão más e passei um ano em grande, mas que como tudo chegou ao fim... Foi um bom ano de caloiro, não digo que gostava de ser caloira para sempre, mas digo que tenho saudades, saudades de um tempo que apesar de muita coisa somos inocentes.



2004/2005:
Talvez o ano mais complicado...um ano de confusoes, de stresses, de nos sentirmos perdidos, de desilusões, de muita coisa....
O ano do trajar, do sentir o traje. É complicado o pulo que se dá da tshirt do caloiro para o traje e não me digam que não... porque no fundo somos caloiros, mas começamos a estar presentes como doutores... sem saber o que é bem isso ainda...
a mim sempre me disseram, "Postura" e "garra" e sem saber muito bem como "fazer" isso... lá tentei...
Foi um ano de chorar, de rir, de ver muita gente partir... foi o ano da revolta, o ano do porquê sempre eu?mas foi um ano essencial...
O ultimo ano do meu padrinho, o sentir que ele ía embora e que me ía fazer muita falta... o ano de ver gente nova, na posição que eu estava há um ano atrás......Pessoas com maneiras de ser muito diferentes... foi um ano complicado em relação a afilhados mas sabe bem agora olhar para trás e dizer: VELEU A PENA... De maos dadas sempre ;)
O ano injusto como eu lhe chamo, mas o ano essencial ao mesmo tempo...


2005/2006:
O ano da responsabilidade.
O ano do medo... O ano que sentimos falta de aprender como eu costumava dizer... Sem duvida foi o que me meteu mais confusao... Como caloira passsava os dias a ouvir os mais velhos como semiputo tb estava todos os dias a aprender um pouco mais e como grelada sentia que agora já nao era eu a ouvir mas sim os outros a ouvir-me a mim.... Sempre gostei de falar e gosto por isso a parte dos discursos coube-me quase sempre a mim... No entanto, continuei a aprender... a veterania deu conta dessa tarefa e nós demos sempre o nosso melhor...
E por falar em veterania... foi o ano da saudade do meu padrinho, foi o ano em que me senti sozinha, foi o ano em que não podia recorrer a ele como sempre tinha feito... é dificil, senti-me sozinha mas como eu digo, o que não nos mata torna-nos mais fortes...
Foi um ano marcado por muitos momentos... O coreto, o ex-libris, a chuva, os rasgoes,os nervos, as lágrimas, os risos de estupidez, as palavras sinceras, o olhar de esperança para os mais novos... um ano cheio de emoções, cheio de VIDA.
Não existe uma unica palavra para definir esse ano... foi mesmo um ano em grande... O ano da colher... a mesma que tinha andado sempre com o meu padrinho, a companheira dele de longas horas, de umas sonecas e que o amparava em todas as ocasiões.
Talvez um dos meus melhores anos... pelas pessoas que conheci, pelas experiencias, pelas aventuras, pela responsabilidade.
Momentos maus também os houve como há sempre mas os bons superaram... Foram algumas as vezes que disse vou-me embora, chega... mas no dia seguinte lá estava eu, a ensinar aos mais novos aquilo que um dia alguem me ensinou, a olhar para eles com esperança, com a espenrança que não deixem isto morrer.
Foi o ano em que a saudade já começou a bater, foi o ano em que as serenatas começaram a ser ainda mais sentidas... O adeus aproxima-se e eu começei a senti-lo...


2006/2007:
É o ano da despedida, o ano do adeus, o ano que queriamos que chegasse o ano da saudade,o ano que olhamos para trás e pensamos em tudo o que passamos... O ano mais dificil a nivel de sentimento provavelmente....
Ainda não posso escrever muito sobre este ano, ou secalhar até posso mas não quero...
Tenho que agradecer a quem sempre esteve comigo, a quem sempre me apoiou, a quem sempre me chamou à razão e a quem sempre me Ouviu apesar de concordar ou não.
O meu olhar este ano é de nostalgia, de saudade de um tempo que caminha para o fim...
Aqueles que ainda ficam mais um tempo só digo, não é facil, nada, mas também nunca ninguem disse que ia ser... Tenho orgulho no meu curso, orgulho nas pessoas do 3º ano, confiança nas do 2º e esperança na dos 1º.... do meu ano não falo... já vivemos tanto juntos que sabemos bem o que sentimos.... independentemente das diferenças, CP forever...
Orgulho-me de tudo o que passei, de tudo o que vivi, sei que ainda tenhu um ano pela fente e para o ano logo se vê....
Tenho orgulho em vcs, orgulho de se manterem todos em praxe ainda, orgulho de ser das poucas, ou será única?, de vos ter a todos em praxe... tenho orgulho, confiança, esperança.... Sei que mesmo quando for embora vocês vão estar sempre no meu coração e irão ter sempre o meu apoio....

Não tou a dizer adeus, mas sei que isso irá acontecer, mais cedo ou mais tarde...
Tenho saudades, saudades dos anos que vivi em jornalismo, em LETRAS.
Sei que ainda não acabou mas sei que já posso dizer que têm sido os melhores anos da minha vida....

15 Comments:

At 3:40 PM, Anonymous Tu sabes ;) said...

Estou emocionado, acredito que não haja palavras para descrever tudo o que sentis-te ao longo destes anos todos e o percurso que fizeste é - sem sobra de duvida - impressionante.

És um exemplo a seguir em praxe e embora tenhas as tuas teimosias (afinal quem não as têm né?) posso dizer hoje que te admiro muito. Um dia gostava de ser como tu e poder escrever um textozinho no meu blog a descrever tudo o que passei nos meus anos de faculdade.

Um dia, ás de passar o teu testemunho aos teus (que por este andar serão vários) netinhos, e eles vão poder olhar para a avó e dizer que ela não deixou a vida passar-lhe á frente, entre bons e maus momentos aproveitou ao máximo a sua vida académica e aposto que isso os vai deixar orgulhosos.

Contudo não posso de deixar de criticar a falta de apego ás raízes, afinal mesmo que só tenhas passado um ano no ISMAI ele acabou por representar o teu inicio neste grande mundo que é o ensino superior.

Entre sorrisos e lágrimas são momentos como os que tu descreveste neste post que guardamos para a vida.

Amén e bebe ai um copo por mim!

 
At 3:57 PM, Blogger eduarda pires said...

:)tenho saudades dos teus discursos!saudade e boas recordações.é estranho mas sinto-me sempre ligada a isto e quando me perguntam pela praxe sou incapaz de dizer "estou fora"..fui me mas deixei um pedacinho do meu coraçao aí,de certeza. oh marta!UM DIA VOU BEBER COMO TUUUUUU espera até aos 20!!!po ano é k éééé!!! mais um brinde vá lá..:PpP lol

 
At 5:50 PM, Anonymous Anonymous said...

Escrever qualquer tipo de comentário ao que acabo de ler é dar importância a um sentimento desconhecido que nem consigo definir e que deu origem a este texto com importantes rasuras.

Mas à coisas às quais não se pode permanecer calado.

Praxe é vivência e sentimento. São momentos que se apagas deixam de existir...estando lá tu e outras pessoas...todos deixam de existir..nada aconteceu.

Apagar o passado é feio. Pode convir a muito boa gente mas é muito feio. Espero que um dia não te façam o mesmo a ti.

Não nasceste de certo ensinada em praxe...nao és uma autodidacta.

Praxe não é fama. Mais, apagar o passado é grave, mas alterar momentos em que tu ainda nem sabias o que eras lá é ainda mais grave.

Eu tenho saudade.Algumas pessoas deviam ter vergonha.

Espero que um dia a história não te apaga, mas seria um óptima lição. E a vida dá-nos grandes lições.

 
At 5:57 PM, Blogger Wordphantom said...

Porque quem existe, quem sente e tentou mostrar o que era sentir a algm, não permanece anónimo. O comentário anterior foi escrito por mim..PEDRO

 
At 12:47 PM, Blogger smiley said...

tu sabes????
gostava de saber gostava mas não tou a ver quem és....
e quanto ao ismai continuo a recorda com saudade os tempos que lá passei, mas a nivel de praxe não aprendi grande coisa no ismai...
beijoka***

 
At 4:58 PM, Anonymous Tu sabes ;) said...

Se não sabes, adivinha! :P

De qualquer das formas não critico o facto de não teres aprendido nada nessa "escola de condução" mas sim o facto de provavelmente teres pouco respeito ao facto de ter sido lá donde vens, passo a explicar:

- Eu nasci em Portugal, um pais pequeno, pobre e humilde onde as minhas possibilidades de "aprender" não são muitas, vivo numa sociedade talvez um pouco fechada e tradicional onde pouco importa inovar e onde se calhar ainda esperamos que D. Sebastião apareça do nevoeiro e nos venha tirar da crise onde nos instalámos... decido ir morar para os USA onde os meus horizontes se alargam e onde sei que (se fizer por isso) posso vir a viver uma vida muito mais rica e excitante (seja a que nível for) contudo não deixo de ser Português e não vou deixar de me orgulhar do lugarzinho que me veio trazer ao mundo.


Não sei se vais compreender a analogia, e se queres que te diga nem me interessa. A mensagem foi transmitida e, como o Pedro disse, o passado não deve ser apagado ou menosprezado. Devemos guardar com apreço todas as pedras do nosso caminho pois são elas que nos ajudam a construir um dia, quem sabe, um castelo… Seja ele feito de calcário, xisto ou granito!

Beijo

 
At 5:11 PM, Blogger smiley said...

nao gosto nem nunca gostei de pseudonimos... gosto de pessoas que dao o nome e a cara pelo que dizem... EU sei?Resposta: Nao num sei.... se preferes continuar no anonimato, ok é tua opção...
quanto ao meu passado não é apagado, nunca o foi, mas pronto cada um pensa o que quiser... EU percebo o que escrevo...
***

 
At 12:36 PM, Anonymous Tu sabes ;) said...

Sim mas não estás a escrever só para ti, se assim fosse escrevias um diario :P

 
At 12:42 PM, Blogger Sara said...

Valeu mesmo a pena :)

 
At 1:16 PM, Blogger Catarina said...

Entre as muitas vezes que te insultei para mim própria e as muitas mais que te admirei, vou resumir o que tenho para te dizer: vai valer sempre a pena recordares os momentos que passaste nestes 4 anos, até porque um bocadinho de ti vai ficar sempre em JCC... e em nós.
;)

 
At 9:38 AM, Blogger Madalena said...

"Conheci pessoas de outros cursos, vi que afinal as pessoas de geografia não eram assim tão más "

Esta foi a frase que me fez rir.. tudo o resto são revisões antecipadas.. este discurso apenas o deverias fazer mais lá para a frente, vejo uma nostalgia simultanea com cansaso!

Jocas Senhora Doutora, companheira de Apresentação!

 
At 1:42 PM, Anonymous mário said...

nao ha palavras pa descrver a importância k tens pa mim, nao ha mxm... na tou a imaginar a praxe sem ti... td u k transmitis-t, tdx akelx dixcursos... akels em k fiku vidradu... nao mudes nunka... es mt especial e tu sabs dixu... adoro-t madrinha...

 
At 3:18 AM, Anonymous Tatinha:P said...

Porque és simplesmente tu..e venha kem vier, serás sempre o orgulho e a cara deste curso!!Adoro-te Madrinha!!!:D

 
At 5:53 PM, Anonymous matz said...

nd mais lindo do k olhar pra traz e ver td o percurso k fizemos e orgulharmo.nos del
**

 
At 1:10 PM, Blogger Magui said...

parece k continuas a ter o dom da palavra...mt lindo o k sentes e a amneira cm o consegues transmitir aos outoros!!!es algm k admiro mt,ex sem duvida um exemplo de garra,coragem...um exemplo a seguir!!! bj mt gand****

 

Post a Comment

<< Home